Este conjunto de Ações de Curta Duração, preparadas pelo serviço educativo Braga Media Arts ocupa o espaço entre a criação, as Media Arts e a comunidade. Serve para que os docentes possam aperfeiçoar e adquirir novas ferramentas pedagógicas e técnicas a serem aplicadas na sala de aula. 

17 Nov. 2018

BMA: Ciclo de Formação para professores 2018/2019

Este conjunto de Ações de Curta Duração, preparadas pelo serviço educativo Braga Media Arts ocupa o espaço entre a criação, as Media Arts e a comunidade. Serve para que os docentes possam aperfeiçoar e adquirir novas ferramentas pedagógicas e técnicas a serem aplicadas na sala de aula. 

17 Nov. 2018

Em 2017, Braga foi oficialmente designada como Cidade Criativa da UNESCO no domínio das Media Arts. Rede de Cidades Criativas para fortalecer a cooperação entre cidades que consideram a criatividade um fator estratégico de desenvolvimento urbano sustentável com impacto social, cultural e económico.

Entre o desfecho deste ano e o início do próximo, a nossa equipa de serviço educativo irá lançar quatro ações distintas de formação de professores, entre 17 de Novembro e 23 de Fevereiro discorrendo por várias disciplinas como design, ilustração, digital tools e arte comunitária:


1) Ilustração e Animação - Da Pedagogia à Prática
Formadora: Maria Mónica
Capacidade: 20 pessoas
Público-Alvo: Educadores de Infância; Professores 1º, 2º e 3º ciclos do EB, Secundário e AEC's
Dia: 17 de novembro 2018
Local: Escola Secundária Alberto Sampaio 

Propõe-se, com a formação, mostrar que a maior parte das ferramentas necessárias para criar uma animação multimédia estão à nossa disposição numa sala de aula comum. A criatividade dos docentes será direccionada para a ilustração e para a animação de acções através de técnicas que não requerem qualquer especialidade ou conhecimento da área em questão.


2)  Ferramentas digitais livres para usar na sala de aula
FormadorDigitópia - Óscar Rodrigues
Capacidade: Lotação não especificada
Público-Alvo: Educadores de Infância; Professores 1º, 2º e 3º ciclos do EB, Secundário e AEC's
Dia: 19 de janeiro de 2019
Local: Escola Secundária Alberto Sampaio

 1. Orelhudo! - O bom dia musical chega às escolas e a todo o lado. Desenhado em estreita relação com o programa curricular do 1º Ciclo do Ensino Básico, o Orelhudo! propõe audições diárias, nunca superiores a 90 segundos e sempre distintas, ao longo do ano letivo. A música, dos mais variados géneros, é acompanhada por conteúdos escritos que abrem a enciclopédia do conhecimento. Para as escolas existem duas versões: uma destinada à sala de aula, a utilizar com os alunos, e outra aos professores, permitindo-lhes aceder a sugestões de atividades e navegar por todo o calendário; 2. Audacity - software open-source que permite gravar e editar ficheiros de som, muito útil para a utilização em sala de aula. Com este programa podemos realizar atividades como a criação de histórias em formato áudio, a gravação de programas de rádio, podcasts, entrevistas ou audiolivros, bem como adicionar som a recursos já existentes, como uma apresentação PowerPoint ou um vídeo; 3. Apps - serão também exploradas nesta formação aplicações de livre acesso que permitem a realização de tarefas criativas em contexto de aula, como o Chrome Music Labs.


 3) Arte Comunitária - Modelo para criar um espetáculo comunitário
Formador: Artur Carvalho
Capacidade: 30 pessoas
Público-Alvo: Educadores de Infância; Professores 1º, 2º e 3º ciclos do EB, Secundário e AEC's
Dia: 2 de fevereiro de 2019
Local: A definir

Esta ação capacita em termos de conhecimentos sobre Arte Comunitária, suas definições, formatos, ferramentas e objetivos. Propõe-se uma aprendizagem de técnicas de intervenção e criação artística de forma a que os participantes disponham de um Modelo para a criação de um espectáculo comunitário.


4) Inclusão através da Arte e do Design
FormadoraLígia Lopes
Capacidade: 30 pessoas
Público-Alvo: Educadores de Infância; Professores 1º, 2º e 3º ciclos do EB, Secundário e AEC's
Dia: 23 de Fevereiro
Local: A definir

Pensar num projeto de Design para a Escola implica um conhecimento da sua cultura interna que é específica para cada cada espaço, tempo e pessoas/utilizadores implicados – esta análise deverá ser entendida como uma reflexão identitária desse grupo. 
Nesta formação faremos uma reflexão que nos permitirá entender e projetar diferentes contextualizações para o Design (ou a Arte) enquanto disciplina que serve como ferramenta para a inclusão, com o objetivo de produzir e gerar valor. 
Serão apresentados casos práticos de processos de Design e cocriação, valorando a dimensão colaborativa e interdisciplinar, demonstrando os benefícios das metodologias participativas, que colocam no centro do projeto as expectativas e necessidades da(s) Criança(s) e da sua comunidade escolar. 

Projectos Relacionados